Audi R8

by Gildo Pires
UltimateCar – © Wouter Melissen

Em 1999, a Audi voltou-se para as corridas de carros esportivos depois de muitos anos de sucesso em carros de rally e turismo. Durante o ano de estreia, o fabricante alemão explorou os dois caminhos nos regulamentos para a vitória absoluta com o cockpit fechado R8C que cumpria os regulamentos GTP e o R8R aberto que competia no LMP900.

Embora ambos os carros fossem movidos por um V8 twin-turbo semelhante, o R8C foi desenvolvido e construído na Inglaterra e o R8R foi projetado internamente e construído pelos especialistas italianos Dallara. A Audi só correu com o R8C em Le Mans.

A Audi, no entanto, não voltou com o desenvolvimento do R8R, mas incorporou todas as lições aprendidas no novíssimo R8. Mais uma vez, o carro foi projetado internamente por Wolfgang Appel e Michael Pfadenhauer. Como a maioria dos protótipos esportivos contemporâneos, ele foi construído em torno de um monocoque composto de fibra de carbono com triângulos duplos e molas e amortecedores acionados por haste nos quatro cantos. A diferença mais óbvia foi o uso de um único arco de rolagem em vez da barra de rolagem de largura total usada no R8R. Como antes, os principais componentes do chassi foram construídos para a Audi pelos especialistas da Dallara.

UltimateCar – © Wouter Melissen

O que foi herdado do R8R e R8C foi o V8 biturbo. Construído em liga leve de alumínio, o motor compacto tinha pouco menos de 3,6 litros e era equipado com um par de turbocompressores Garrett. Com os restritores obrigatórios, o V8 produzia cerca de 600 cv. O motor foi acoplado a uma caixa de câmbio sequencial de seis marchas marca Ricardo, que era operada por comandos atrás do volante. A traseira do R8 foi projetada para ser trocada rapidamente. Em Le Mans, a equipe conseguiu completar a troca da traseira em surpreendentes quatro minutos.

Uma das principais razões para a Audi seguir a rota da LMP “aberta” foi a incipiente American Le Mans Series (ALMS), realizada principalmente em pistas apertadas, mas no lucrativo mercado norte-americano. O R8 fez sua estreia na abertura da temporada ALMS: as 12 Horas de Sebring. Apresentado pela Audi Sport North America, o carro novinho em folha marcou uma notável dobradinha nesta corrida muito difícil.

Para Le Mans, três carros foram colocados em campo pela Audi Sport Team Joest. Os R8 mais uma vez dominaram, marcando uma vitória retumbante de um-dois-três. O domínio continuou na América do Norte e a Audi também terminou o ano como campeã.

UltimateCar – © Wouter Melissen

Para 2001, os carros eram sutilmente modificados (até que ponto… não foi revelado) até que outra vitória em Le Mans fosse conquistada. O motor usado apresentava injeção direta de combustível ou ‘FSI’, que aumentava a eficiência do sistema e também melhorava o desempenho. Além das equipes de trabalho que corriam em ambos os lados do Atlântico, os R8 também foram colocados em campo pelas equipes satélites Champion Racing (na América do Norte) e Johansson Motorsport (na Europa). Nas temporadas seguintes, essas e outras equipes acrescentariam muito mais vitórias à contagem do R8. O ano de 2002 foi o último ano em que a equipe de fábrica correu com os carros em Le Mans, quando outra vitória um-dois-três foi conquistada.

UltimateCar – © Wouter Melissen

A partir de 2003, os Audi R8 foram colocados em campo por equipes satélites enquanto os esforços de trabalho se concentravam no Bentley Speed 8, que foi até certo ponto um desenvolvimento do R8C. Enquanto um Bentley vencia em Le Mans, os sucessos na América do Norte continuaram e as equipes Audi iriam ganhar o campeonato com o R8 até 2005.

Em Le Mans, os R8 estavam sendo gradualmente “deixados de lado” para favorecer os carros construídos de acordo com os novos regulamentos. Isso não impediu que “uma velha máquina” conquistasse mais duas vitórias absolutas nas 24 Horas de Le Mans. Para 2006, o R8 foi substituído pelo revolucionário R10 com motor a diesel, que foi mais uma vez colocado em campo pela equipe de trabalho.

UltimateCar – Pieter Melissen

Embora nem sempre competindo contra a oposição mais forte, o Audi R8 tem um recorde de corrida praticamente inigualável com cinco vitórias definitivas em Le Mans, seis títulos ALMS e também um par de campeonatos na Europa. Uma das características definidoras do R8 era sua eficiência destacada pela traseira (de troca rápida) e o motor V8 de injeção direta. O R8 permaneceu como o primeiro grande protótipo esportivo do século 21 e iniciou uma era de domínio da Audi em Le Mans que duraria quinze anos, com apenas duas exceções, entre 2000 e 2014.

A única “mancha real” no legado do R8 foi o acidente fatal de Michele Alboreto durante um teste de 2001, em Lauzitsring.

Motor:
Configuração 90º V8
Montado longitudinalmente
Deslocamento 3.596 cc / 219,4 cu in
Diâmetro / curso 85,0 mm (3,3 pol.) / 79,2 mm (3,1 pol.)
Valvetrain 4 válvulas / cilindro, DOHC
Alimentação de combustível Bosch Motronic MS 2.9 Fuel Injection
Aspiração Twin Turbos
Potência 610 cv / 455 kW
Torque 700 Nm / 516 pés-lbs
BHP/litro 170 bhp/litro

Transmissão:
Câmbio Ricardo 6 velocidades Sequencial
Tração Tração traseira

Corpo composto de fibra de carbono
Chassis composto de fibra de carbono e monocoque de favo de mel de alumínio com motor totalmente estressado
Suspensão (fr/r) triângulo duplo independente, sistema push-rod com unidade horizontal de mola/amortecedor, amortecedores a gás ajustáveis
Rack de direção d-pinhão, potência assistida
Freios (fr/r) Hidráulicos, servo-assistidos ventilados e discos de cerâmica de carbono perfurados

Dimensões:
Peso 900 quilos / 1.984 libras
Comprimento / Largura / Altura 4.650 mm (183,1 pol.) / 1.980 mm (78 pol.) / 1.080 mm (42,5 pol.)
Distância entre eixos / Pista (fr/r) 2.730 mm (107,5 pol.) / N/A / N/A

Pneus Michelin

Números de desempenho:
Potência para pesar 0,68 cv/kg
Velocidade Máxima 90 km/h (56 mph)

You may also like

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Produção

PRC RACE & TOW
GRAND PRIX SERVICE CONSULTING

COLABORADORES

A opinião dos colunistas não reflete necessariamente a opinião dos editores e/ou das empresas responsáveis por esse projeto.

Nossos colaboradores participam voluntária e gratuitamente desse projeto.

Email: contato@aovolante.tv.br