ATS D7 BMW

by Gildo Pires

Em 1977, o fabricante alemão de rodas ATS expandiu seu horizonte ao entrar nas corridas de Fórmula 1. Liderada por Hans Gunther Schmid, a equipe ATS raramente provou ser mais do que um “grid filler”, apesar de atrair alguns dos designers e pilotos mais talentosos.

Em sua primeira temporada, a equipe usou dois Penske PC4s mas, a partir de 1978, a equipe produziu seus próprios monopostos.

Alimentados pelo bom e velho Cosworth V8, os carros ATS eram muito semelhantes aos “carros-kit” que compunham a maior parte do grid na virada da década.

A revolução do turbo impulsionada pela Renault rapidamente deixou o motor Cosworth obsoleto e, em 1983, Schmid conseguiu garantir um acordo de motor com a BMW. O designer austríaco Gustav Brunner criou um chassi de fibra de carbono para combinar com o motor turbo de quatro cilindros. Apesar dos materiais avançados e do motor muito potencial, o ATS D6 não impressionou. Na mesma temporada, a equipe Brabham conseguiu sugar todo o potencial do motor e seu piloto Nelson Piquet venceu o Campeonato Mundial de Pilotos.

Para 1984, o design do D6 foi modificado por Brunner criando o D7, ligeiramente mais fino. Pouco depois, o designer austríaco deixou a equipe, como muitos haviam feito antes dele. O piloto Manfred Winkelhock continuou de onde havia parado em 1983 e novamente não conseguiu marcar um único ponto. No meio da temporada, juntou-se ao estreante Gerhard Berger e conseguiu terminar em sexto no Grande Prêmio da Itália. Devido a um detalhe técnico, a pontuação não foi consignada ao Campeonato Mundial.

No final da temporada, a BMW encerrou o negócio do motor, deixando Schmid sem motor. Este foi o golpe final para a equipe alemã, que se aposentou após oito temporadas. Schmid voltou ao esporte mais uma vez em 1988 com o Rial projetado por Brunner, mas com dois pontos em tantos anos, não foi uma melhoria em relação à sua primeira tentativa.

Motor:
Configuração BMW M12/13 Reta 4
Montado longitudinalmente
Bloco de construção em ferro fundido, cabeça de alumínio
Deslocamento 1.499 cc / 91,5 cu in
Furo / Curso 89,2 mm (3,5 pol) / 60,0 mm (2,4 pol)
Compressão 6.7:1
Valvetrain 4 válvulas / cilindro, DOHC
Acionado por engrenagem da árvore de cames
Alimentação de combustível Bosch/Kugelfischer Fuel Injection
Cárter seco de lubrificação
Aspiração KKK Turbo
Potência 750 cv / 560 kW a 10.500 rpm
Torque 480 Nm / 354 pés lbs @ 8.500 rpm
BHP/litro 500 cv/litro

Transmissão:
Caixa de velocidades ATS / Hewland 5 velocidades Manual
Tração Tração traseira

Chassis monocoque em fibra de carbono
Suspensão dianteira com braços duplos, amortecedores acionados por haste de tração
Suspensão traseira com braços duplos, amortecedores acionados por pushrod
Pinhão e cremalheira de direção
Discos de freio, all-round

Dimensões:
Peso 548 quilos / 1.208 libras
Distância entre eixos / esteira (fr/r) 2.735 mm (107,7 pol.) / 1.795 mm (70,7 pol.) / 1.700 mm (66,9 pol.)

Números de desempenho:
Potência ao peso 1,37 bhp / kg

You may also like

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Produção

PRC RACE & TOW
GRAND PRIX SERVICE CONSULTING

COLABORADORES

A opinião dos colunistas não reflete necessariamente a opinião dos editores e/ou das empresas responsáveis por esse projeto.

Nossos colaboradores participam voluntária e gratuitamente desse projeto.

Email: contato@aovolante.tv.br