Williams FW13B Renault

by Gildo Pires

Para a Williams, a temporada de 1989 marcou o início de uma nova era, quando a equipe iniciou sua parceria de enorme sucesso com a Renault. O novo motor V10 do fabricante francês foi originalmente montado na parte traseira de uma versão ‘C’ adaptada do FW12 usado em 1988, antes que o FW13 fosse introduzido no final da temporada. Foi o FW12C que deu à parceria Williams-Renault sua primeira vitória.

Projetado por Enrique Scalabroni sob a orientação do diretor técnico Patrick Head e com a ajuda do aerodinamicista Eghbal Hamidy, o novo FW13 era consideravelmente mais estreito que seu antecessor. A frente do chassi era tão estreita que as molas e amortecedores montados na placa e acionados pela haste foram montados em cima dos joelhos do motorista. A suspensão traseira também consistia em triângulos duplos com molas e amortecedores internos, montados praticamente na horizontal ao lado da caixa de câmbio.

UltimateCarPage.com

O que permitiu aos engenheiros da Williams optar por uma forma tão esbelta para o FW13 foi o motor Renault RS1 muito compacto. O V10 todo em alumínio tinha um ângulo de banco de cilindros de apenas 67°. Deslocando-se pouco abaixo do limite de 3,5 litros, o RS1 produziu 600 cv no início da temporada, que havia aumentado para 660 cv quando o FW13 estava pronto. Usado como um membro totalmente estressado do chassi, o Renault V10 foi acoplado a uma caixa de câmbio transversal, que usava componentes internos da Hewland.

O FW13 foi colocado em serviço pela primeira vez para o Grande Prêmio de Portugal; a 13ª das 16 rodadas do Campeonato Mundial. Nem Riccardo Patrese nem Thierry Boutsen conseguiram chegar ao final devido a problemas de confiabilidade e, na próxima rodada, Patrese voltou ao testado e confiável FW12C. Na penúltima corrida da temporada, os problemas de confiabilidade eram coisa do passado e Patrese e Boutsen terminaram em segundo e terceiro. Boutsen encerrou o ano com uma vitória na Austrália, onde Patrese ficou em terceiro.

UltimateCarPage.com

Considerando o momento da introdução do FW13 e sua forma altamente competitiva no final do ano, não foi surpresa que a Williams optou por executar um FW13B atualizado durante a temporada de 1990. Entre os refinamentos estavam os side-pods ainda mais estreitos e as geometrias de suspensão ligeiramente revisadas. A Renault forneceu uma versão atualizada do V10. Apelidado de RS2, era bom para 680 cv. Embora se falasse em contratar o tricampeão mundial Alain Prost, ele optou por ir para a Ferrari, e a Williams continuou para uma segunda temporada com Boutsen e Patrese.

A competição consistiu principalmente nas equipes McLaren e Ferrari, que também empregaram os pilotos mais rápidos do dia. Boutsen, no entanto, começou bem o ano com um terceiro lugar no Grande Prêmio dos Estados Unidos de abertura da temporada, disputado nas ruas de Phoenix. Na terceira rodada, em Imola, Patrese venceu o primeiro Grande Prêmio da temporada pela Williams. Nas rodadas seguintes, ambos os pilotos marcaram pontos regularmente, mas eventualmente Boutsen adicionou apenas mais dois pódios à contagem do FW13B; segundo em Silverstone e uma vitória em Hungaroring.

UltimateCarPage.com

Depois de se classificar no que foi efetivamente uma temporada interina, a Williams terminou a temporada de 1990 em um decepcionante quarto lugar no troféu de construtores, derrotado não apenas pela McLaren e Ferrari, mas também pela Benetton. Alguns sugeriram que, dado um emparelhamento de pilotos mais rápido, o FW13B com motor Renault estaria na ponta do campo com mais frequência. Em 1991, Nigel Mansell voltou e o FW14 projetado por Adrian Newey deu mais um passo à frente, marcando impressionantes sete vitórias.

Chassi: FW13-07

Um dos FW13Bs usados ​​durante a temporada de 1990, este chassi foi disputado quatro vezes; duas vezes por Thierry Boutsen e duas vezes por Riccardo Patrese. O melhor resultado do ano foi um terceiro para Boutsen no Grande Prêmio dos EUA de 1990, disputado nas ruas de Phoenix. Boutsen também estava indo bem em Interlagos, mas uma colisão com um mecânico no pit-lane o fez cair para quinto. No final do ano, o carro foi retirado do serviço ativo. Retido pela Williams desde então, acabou sendo oferecido na venda do Bonhams Goodwood Festival of Speed ​​de 2015. Embora equipado com um motor que não funciona, vendeu bem.

UltimateCarPage.com

Chassi: FW13-08

Entre os chassis FW13Bs mais bem sucedidos usados ​​durante a temporada de 1990, este carro foi usado por Thierry Boutsen no Grande Prêmio da Hungria. O belga conquistou a pole position e viria a vencer a corrida. No final da temporada de 1990, o carro foi aposentado da ativa. Em 2015, foi restaurado ao estado de funcionamento completo pelo recém-criado departamento Williams Heritage. Correu pela primeira vez em 25 anos, foi posteriormente demonstrado no Goodwood Festival of Speed ​​por Felipe Massa e o piloto de testes Alex Lynn.

UltimateCarPage.com

Motor
Configuração Renault RS2 67º V10
Localização Meio, montado longitudinalmente
Bloco e cabeça de liga de alumínio de construção
Deslocamento 3.485 cc / 212,7 cu in
Furo / Curso 93,0 mm (3,7 pol) / 51,3 mm (2 pol)
Valvetrain 4 válvulas / cilindro, DOHC
Injeção de combustível de alimentação de combustível
Cárter seco de lubrificação
Aspiração Naturalmente Aspirada
Potência 680 cv / 507 kW
BHP/litro 195 cv/litro
Chassis de fibra de carbono e alumínio alveolar monocoque com motor estressado
Suspensão (fr/r) braços duplos, molas e amortecedores acionados por haste, barra estabilizadora
Pinhão e cremalheira de direção
Freios (fr/r) Carbon Industries discos de cerâmica de carbono

Transmissão
Caixa de velocidades Williams / Hewland Transversal 6 velocidades manual
Tração Tração traseira

Dimensões
Distância entre eixos / esteira (fr / r) 2.920 mm (115 pol) / 1.803 mm (71 pol) / 1.676 mm (66 pol)
Tanque de combustível 220 litros (58,1 galões EUA / 48,4 galões imperial)

You may also like

Produção

PRC RACE & TOW
GRAND PRIX SERVICE CONSULTING

COLABORADORES

A opinião dos colunistas não reflete necessariamente a opinião dos editores e/ou das empresas responsáveis por esse projeto.

Nossos colaboradores participam voluntária e gratuitamente desse projeto.

Email: contato@aovolante.tv.br