Österreichring – lembranças do passado

by Gildo Pires

Herman Liesemeijer é um entusiasta do automobilismo, daqueles “raiz”, que adora uma boa história, recordar quando cirrida de automóveis era coisa para homens de coragem, arrojo e “muito braço”.
Encontrá-lo na internet e acompanhar seus relatos é um provilégio que muito prazer nos dá… e uma pontinha de inveja. Por quê? Ora, ele vai nos circuitos, procura os resquícios dos traçados originais, documenta e nos faz perceber quanto tempo se passou e quantos grandes pilotos deixaram suas marcas naquelas pistas.

No início desse ano, recebi essa comunicação que repasso para vocês.

Tt.com

“Olá GP,

Duas semanas atrás, mencionei o Red Bull Ring em minha história sobre o Salzburgring. Quando quis visitar este circuito – anteriormente conhecido como Österreichring – no verão de 2017, entrei em contato por e-mail. Infelizmente não obtive resposta, então decidi ir lá como visitante regular.

Na manhã da minha visita tentei ligar para o circuito. Tive que fazer um grande desvio, e não me apetecia estar diante de portas fechadas. Mas eles não atenderam o telefone. Então me deparei com um dilema…

Naquela época eu estava em Strasswalchen, no oeste da Áustria. No dia seguinte iria para Veneza na Itália. Só para dar uma ideia da distância do desvio. Mas eu realmente queria ir para o antigo Östenreichring há muito tempo. Então resolvi arriscar.

A viagem de ida não foi muito próspera. Um acidente havia acontecido na rodovia, pouco antes de um túnel na montanha, e ela estava completamente bloqueada. Não havia saída na área e uma olhada no Google Maps mostrou que não havia rota alternativa de qualquer maneira. Depois de algumas horas de espera, a estrada foi liberada e pude continuar a viagem.

Felizmente, o Red Bull Ring estava aberto ao público naquele dia. Na pista havia alguns passeios de demonstração para convidados.
Depois de dar uma olhada no circuito atual, fui para a parte mais interessante do circuito, o deserto de Westschleife. Embora não houvesse sinais de invasão, o portão estava aberto, então continuei andando. Então eles deveriam ter respondido meu e-mail ou telefonema 😉

Enquanto caminhava para o ponto mais alto da pista, vi algumas outras pessoas. Mas ninguém disse que eu tinha que sair, então continuei meu caminho. Você pode ver isso no vídeo de caminhada que fiz lá.

Embora o tempo estivesse bom no começo, o céu estava escurecendo agora, e um pouco depois começou a chover. À medida que subia, a chuva se tornava um aguaceiro.

Quando finalmente cheguei (sem fôlego) no ponto mais alto e vi os portões fechados para a parte operacional, estava encharcado. Não só pela chuva, mas também pela transpiração. Aqui parei de filmar para me abrigar sob o teto de uma barraca de comida, que estava guardada ali.

Felizmente, a chuva rapidamente recuperou força e comecei a caminhada mais fácil. À medida que descia, o tempo clareava cada vez mais. Ao longo do caminho, filmei algumas coisas interessantes, como pedras velhas do meio-fio, jogadas em um poço de cascalho e um Marshall Post abandonado.

Uma vez que voltei à pista atual, o tempo estava ensolarado novamente, assim como quando cheguei. Depois de comprar uma camiseta, embarquei para a Itália.
Você pode ver meus vídeos do antigo Österreichring através do link abaixo.

Com os melhores cumprimentos,
Herman Liesemeijer”

You may also like

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Produção

PRC RACE & TOW
GRAND PRIX SERVICE CONSULTING

COLABORADORES

A opinião dos colunistas não reflete necessariamente a opinião dos editores e/ou das empresas responsáveis por esse projeto.

Nossos colaboradores participam voluntária e gratuitamente desse projeto.

Email: contato@aovolante.tv.br