/* ]]> */

“THE” LOLA T600

(arquivo da Lola)

O T600 surgiu de uma reunião entre o lendário piloto de carros esportivos Brian Redman e Ralph Cooke. Cooke não era fã de dirigir o Porsche 935 com seu acelerador induzido turboalimentado e estava preparado para financiar um aspirante a desafiante à marca alemã. Em 1981, a IMSA introduziu uma nova classe de carros GTP (Grand Touring Prototypes) que seguiam regras semelhantes às novas para os carros FIA do Grupo C na próxima temporada de 1982 que competiriam no Campeonato Mundial de Resistência.

Basicamente os novos carros rodavam com um peso mínimo de 900 kg, com motores de produção de 6 litros, e os dois homens viram uma oportunidade para um novo design.

Redman viajou para a Inglaterra e discutiu um possível novo design com Eric Broadley da Lola. Eric gostou da ideia e propôs um design totalmente moderno que aproveitaria a então nova ideia de efeito-solo que a IMSA e a FIA aprovaram para suas novas classes. Eric empregou o talento do aerodinamicista francês Max Sardou para projetar a parte inferior da carroceria do novo carro e uma grande parte do tempo foi gasta no túnel de vento do Imperial College.

Foi acordado que os primeiros dois carros construídos (HU1 e HU2) iriam para a equipe Cooke-Woods Racing para o Campeonato IMSA de 1981.

Uma vez que o carro iria potencialmente correr no Campeonato Mundial de Endurance, o T600 não só tinha que competir e ser competitivo nas corridas IMSA geralmente mais curtas (100 a 200 milhas), mas também tinha que ser capaz de competir nas 24 Horas de Le Mans. Previa-se também que a Lola seria capaz de vender vários carros adicionais, além dos dois para a equipe Cooke-Wood.

(arquivo da Lola)

O novo carro da Cooke-Woods, HU1, seria movido por um Chevvy V8 de 5,8 litros ajustado pela Chaparral Cars, que produzia cerca de 600 hp a 7.000 rpm e seria equipado com o novo design de caixa de câmbio da Hewland, o VG (marcha variável), que poderia rodar com 4 ou 5 velocidades. O HU2 estava equipado com um motor Porsche de 3,2 litros turboalimentado e entrou na corrida de Le Mans 24 Horas de 1981 para Brian Redman e Bobby Rahal, mas a falta de testes e problemas no turboalimentador fizeram com que o carro não se qualificasse.

(arquivo da Lola)

O novo T600 atingiu o terreno da IMSA ainda em desenvolvimento, apesar de não ter aparecido até a 5ª jornada do Campeonato de 1981, em Laguna Seca. Redman conquistou a primeira das cinco vitórias que o levariam a conquistar o título de pilotos. No rastro do sucesso de seu antecessor, outros T600 apareceram no campeonato daquele ano, pelas mãos de John Paul Jr. e Chris Cord.

1982 viu mais cinco vitórias em IMSA, mas a Porsche recuperou a vantagem conseguindo doze vitórias e o campeonato foi para John Paul Jr., embora usassem o T600 em algumas corridas e venceram. Ted Field com quatro vitórias levou o segundo lugar com o Interscope T600.

O T600 continuou a correr na IMSA nos anos seguintes, mas embora houvesse mais pódios, não houve mais vitórias, pois os carros mais novos da March e da Jaguar pegaram a ideia da Lola e a desenvolveram ainda mais.

(arquivo da Lola)

O Campeonato Mundial de Endurance viu o T600 levar duas vitórias para Emilio de Villota/Guy Edwards em Enna-Pergusa e Brands Hatch, num carro motorizado com o Ford Cosworth DFL de 3,3 litros, embora, mais uma vez, o Porsche 935 tenha sido o vencedor.

Foram construídos 12 exemplares, de 1981 a 1983.

Os números do T600 (segundo um artigo da Car and Driver de janeiro de 1982): carro de corrida GTP com motor central, tração traseira, 1 assento e 2 portas. Avaliado em US$ 140.000.

O berço do motor acomoda um V8, bloco de ferro e cabeçote de alumínio, deslocamento de 355 pol³, 5.824cc, taxa de compressão de 12,7: 1, sistema de combustível com injeção mecânica Lucas-Kinsler, potência (rede SAE) de 600 hp a 7000 rpm, redline em 7200 rpm. A transmissão é uma Hewland VG5 de 5 velocidades.

(arquivo da Lola)

A distância entre eixos é de 106,5 polegadas, eixo dianteiro com 62,0 polegadas de largura e 61,0 polegadas na traseira; comprimento de 186,5 polegadas, largura de 78,5 e altura de 41,5 polegadas. O peso chegava a 2.250 lbs, distribuídos com 38,3% na frente e 61,7% atrás. A capacidade do tanque de combustível era de 31,7 galões, do reservatório de óleo era de 16,0 qt.

O chassi foi montado com folhas de alumínio rebitados e honeycomb; a carroceria era de plástico reforçado com fibra de vidro.

A suspensão na frente e atrás com braços de controle de comprimento desigual, molas helicoidais, barra anti-oscilação ajustável pelo piloto; direção tipo cremalheira e pinhão. Os freios eram a disco ventilados. A roda media 11,0x 6 polegadas na frente e 14,0×16 polegadas atrás, com pneus Goodyear Eagle GT, 24,0 x 11,5-16 na frente e 27,0 x 14,0-16 atrás.

(planetcarsz.com)

A velocidade máxima aferida foi de 182 mph, com um consumo de 0,4 galão por milha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.