/* ]]> */

Fiat quer “eletrificação acessível” com novo Panda elétrico e modular

O novo Panda 100% elétrico da Fiat, baseado no carro dos anos 80 (o qual inspirou o Uno), já é conhecido do público desde 2020, embora não tenha sido lançado. Nesta semana, o CEO Olivier François deu uma entrevista ao site AutoExpress UK em que falou mais sobre os planos da montadora para o futuro e trouxe novidades sobre o modelo.

Segundo François, o carro será de entrada, como se espera, e terá preço menor que o do Fiat 500e. Esses dois modelos serão os “pilares” da nova fase da Fiat, que terá ênfase em elétricos. O plano é de uma “eletrificação acessível”, nas palavras de François, e desenvolvida ao longo de cinco anos.

Mas ainda não é certo que o Panda se chamará Panda. “O que é certo é que agora eu tenho a possibilidade de inventar um novo nome ou de aproveitar algum nome mítico do passado”, disse o CEO. “Eu estou mais inclinado à segunda opção porque nós temos esses templates famosos e com muitos clientes felizes”, disse.

“Vamos fazer um carro para o segmento B [Panda elétrico] e depois virá um novo Punto? Ou vai haver um super Panda? Eu não sei. Nós iremos descobrir. O que é muito importante, e este é o ponto onde você tem meu total comprometimento, é que obviamente, numa primeira olhada, mesmo sem a insígnia ou o nome da marca, você irá reconhecê-lo como um Fiat”, afirmou François.

Modelo chega ainda em 2022

Previsto para o segundo semestre deste ano, o Panda elétrico supostamente tem o design baseado no Centoventi, carro conceito de 2019 que ganhou vários prêmios. O Centoventi foi planejado para vir em versão única que poderia ser customizada com quatro tetos, quatro para-choques, quatro envoltórias de roda e quatro pinturas à escolha do cliente. Tanto essas partes como os acessórios internos seriam intercambiáveis e no estilo “plug and play”, ou seja, o próprio usuário poderia retirar e encaixar o que quiser.

Outra mudança é que, em vez da tela central com as informações do computador de bordo e de entretenimento, o carro teria um dock para acoplar um telefone ou tablet. Tudo isso tornaria o modelo mais barato e acessível para consumidores de classes mais baixas.

É isso que veremos no novo Panda? Sem confirmação oficial, é impossível saber. Mas as falas de François apontam nessa direção. “Há um futuro para a Panda como marca… é por isso que eu sugeri que o novo 500 fosse conversível: alto padrão, cheio de opções e com um preço de 30 mil euros. Porque no dia em que eu apresentar o Panda futuro, eu provavelmente irei na direção oposta. Vou introduzir a versão mais crua possível e com um preço incrível”, disse o CEO.

Fonte: Automotive Business

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.