/* ]]> */

BMW X3 Híbrido – você pode ligar na tomada

Por que eu?

Por que logo eu teria que escrever sobre um BMW?

Fora a atenção que me despertavam os motores que equipavam os carros na Fórmula 1, a marca BMW sempre foi um sinônimo de “carro importado”, “coisa boa que vem de fora”, luxo e tradição. Depois, o país permitiu a importação de automóveis e o contato foi aumentando, mais e mais carros desta marca se via circulando entre nós e, de repente, ser proprietário de um BMW já não era apenas um sonho no imaginário dos fãs da indústria automobilística.

Particularmente, confesso que era bom estar a bordo de um, mas eram todos cupês, hatch… passei muito tempo da minha vida dentro de carrinhos apertadinhos, duas portas. Não tenho mais paciência pra isso. Quero espaço, praticidade, não tenho mais tempo para “mimimis automotivos”.

Mas justamente quando nos deparamos com algo que “nos contraria”, despertamos nossa curiosidade, os olhares se aguçam, a experiência nos chama!   

“Aha! O SUV que deu início a tudo”.

Poderia descrever assim o início deste trabalho.

O BMW X3 foi o primeiro SUV “crossover-de-luxo-de-médio-porte” que conquistou o mercado e deu origem a um novo segmento chamado SAV ou “Sports Activity Vehicle”.

Brake! Stop! Primeiro freio de arrumação!

Pelamordedeus! Chega de gente falando e escrevendo besteira! Esse “Sport” no nome nada tem de “esportivo”! Não se refere à um carro esporte ou com caraterísticas “de pista”. “Sport” em inglês remete à aquilo que não é formal, descontraído, feito ao ar livre mas ainda assim com certa elegância e postura comedida (grifo meu).

Voltando, mantendo-me fiel ao conceito da tradição da BMW, vimos surgir o projeto de um SUV “esportivo”, luxuoso e altamente prático.

Em 2020, a BMW ainda estava no topo das paradas e se baseou nas experiências anteriores para levar o jogo a outro nível. Era o BMW X3.

Olho hoje para a marca alemã e identifico sua rica história no design, no projeto de SUV práticos e ainda com comportamento “nervoso”.

Os visionários da BMW viram um mercado em expansão para SUV no segmento de luxo e foi assim que, sucessivamente, o BMW X5 ganhou vida. Foi um sucesso instantâneo enquanto a tendência de SUV explodia, aumentando a demanda por SUV esportivos e superpráticos, que ocupavam menos espaço do que um SUV pleno (“raiz”), oferecendo uma experiência de direção semelhante.

E quatro anos após o lançamento do X5, a BMW expande novamente seu horizonte com um novo BMW X3.

Como já mencionei, em 2020, o BMW X3 estava em sua terceira geração e, ao longo dos anos, conseguiu conquistar uma posição forte no mercado e no segmento, chegando ao topo. No verdadeiro estilo BMW, o X3 é um dos SUV crossover mais interessantes do segmento. Com um chassi bem versátil, era inevitável que a divisão “M” da BMW colocasse as mãos em um desses SUV capazes. Os resultados foram surpreendentes e acabaram tendo um BMW X3 M com um motor “diferenciado” na frente e um sistema xDrive AWD com polarização traseira que catapultou o SUV para 60 mph em menos de 4 segundos.

Mas isso é uma história para outro dia.

Agora vamos mergulhar fundo na história do BMW X3.

BMW X3 1ª geração – apesar da marca, um projeto não bem sucedido  Fonte: Pinterest

Resumidamente: a primeira geração (de 2003 a 2010) do BMW X3 foi baseada no “clássico-moderno” E46 série 3. A plataforma era fácil de ser trabalhada e funcionou perfeitamente na série 3, assim como funcionou maravilhosamente no X3. O motor era um 3.0 de seis cilindros em linha que provou ser bastante ágil e foi um dos destaques do X3, já que o SUV foi fortemente criticado por jornalistas da época por sua “aparência horrível”, interior desanimador e sua terrível capacidade off-road. Com a designação E83, o BMW X3 consegiuiu a sintonia certa com o público e chegou ao topo das paradas de vendas, ganhou prêmios e, eventualmente, deu início a uma tendência de SUV crossover luxuosos de médio porte que ganharam muita atenção e tração nos anos seguintes. A BMW introduziu um facelift em 2007.

BMW X3 2ª geração – traços fortes e maior espaço interno  Fonte: Pinterest

Com a segunda geração (de 2011 a 2017) do BMW X3, os designers “voltaram à prancheta” e trabalharam em algumas das deficiências do ponto de vista do visual. Como resultado, o “novo” BMW X3 era mais longo e um pouco mais largo do que antes, o que se traduzia em uma cabine mais espaçosa por dentro. Por fora, o design inspirado no BMW X5 fez maravilhas para a aparência do X3. Em 2014, uma grande atualização do ciclo de vida foi lançada para a geração F25 do X3. Junto com as mudanças óbvias de design, que mostraram a nova direção da linguagem de design da BMW, o X3 foi apresentado com a opção de motores a diesel pela primeira vez.

BMW X3 3ª geração – agradando os gostos mais exigentes   Fonte: Pinterest

A geração atual do BMW X3 (de 2018 à presente data) é certamente um dos SUV mais vendidos em seu segmento, assim como suas gerações anteriores. A geração “G01” do X3 era um SUV bem diferente. A plataforma era totalmente nova e os motores também. A única coisa que herdou da geração anterior foi a caixa de câmbio automática ZF de 8 marchas que recebeu muitas atualizações. Em termos de design, o 2020 BMW X3 pareceu muito mais esportivo do que antes: a grade cresceu em tamanho e abrigou uma lâmina de grade ativa (podiam abrir e fechar para melhor economia de combustível e aerodinâmica). Atrás da grade, pode-se escolher: um motor básico 2.0 em linha com quatro turbocompressores (curiosidade: esse motor não foi oferecido no mercado dos Estados Unidos). Ou outro com saudáveis 248 cavalos de potência, o que é suficiente para a cidade e também para a rodovia. Para os entusiastas do desempenho, os engenheiros da BMW apostaram no monstruoso motor 3.0 bi-turbo de seis cilindros em linha e 502 cavalos de potência.

Calma! Calma!

Outubro de 2021 e a BMW volta a chamar a atenção dos holofotes!

BMW X3 PHEV – um híbrido bem espaçoso Fonte: press.bmwgroup

Para os membros do “partido verde”, entusiastas do meio ambiente, a grande notícia: pela primeira vez, o BMW X3 também será oferecido como um PHEV (Plug-in Hybrid Electric Vehicle), um veículo elétrico híbrido recarregável (ou, ao pé da letra, “conectável”) no mercado brasileiro!

Este é um tipo bem versátil de carro híbrido, que combina os recursos e possibilidades de um “puro elétrico” (EV) com as de um híbrido comum (HEV), disparando os números da economia de combustível!

Agora, sim, a BMW tem a minha atenção. Não somente por ser um fã dos projetos de SUV, mas também porque já venho dizendo que não é mais admissível as montadoras oferecerem carros sem conexões USB ou carregadores de portáteis por indução, afinal estamos no século XXI e tentam nos empurrar “carroças conceituais” do passado.

Mas o novo BMW X3 “híbrido plug-in”, um SAV mais ousado, com tecnologia avançada e o “prazer de dirigir” esperado pelos apreciadores da marca tem tudo para agradar!

O modelo chega em três versões:  xDrive 30e X-Line e os inéditos xDrive30e M Sport e xDrive30e M Sport Launch Edition, com preços (sugeridos) entre 400 e 450 mil reais.

BMW X3 PHEV – novo design que agrada Fonte: press.bmwgroup

Produzidas na fábrica do BMW Group em Spartanburg (USA), as configurações se diferenciam no estilo e equipamentos. Em comum aos três, o design do novo BMW X3 ficou mais agressivo em todas as partes. Além de ser maior, a grade está ligada por uma moldura única; os faróis foram estreitados em dez milímetros e, assim, ficaram mais afilados e esportivos; as lanternas traseiras de led adotaram design tridimensional e têm filetes que seguem o formato “de uma pinça”.

Atenção: qual o seu estilo?

Se você gosta de calça cargo, um boot “de responsa” e é descolado, o BMW X3 xDrive30e X-Line tem visual aventureiro e traz detalhes de alumínio nos para-choques e soleiras, toques que remete às proteções off-road. O novo para-choque dianteiro tem entradas de ar verticais nas pontas. Já o para-choque traseiro exibe uma moldura que envolve as saídas de escapamento. Os faróis full led são de série nessa versão. As rodas de liga-leve de 20 polegadas calçam pneus de medida diferentes na dianteira (245/45) e na traseira (275/40)!

Se você gosta de esportividade mas não afunda o pé na lama e passa algum tempo dando brilho na lata com uma estopa na mão e muita cera Grand Prix, o BMW X3 xDrive30e M Sport tem visual diferenciado e a sensação de uma condução mais “nervosa” (eu falei “sensação”, ele não é um carro de corrida), com detalhes em preto High Gloss na grade, para-choques e moldura dos vidros, que são cromadas no X-Line. O para-choque dianteiro tem contorno demarcado por vincos agressivos. O para-choque traseiro acompanha essa inspiração e traz saídas de ar laterais e molduras das saídas dupla de escape no mesmo tom preto dos demais detalhes. Outra diferença do M Sport é o uso de faróis Laserlight, cuja iluminação chega a 650 metros de distância. As rodas aro 20 usam pneus com a mesma medida da outra versão.

Já o BMW X3 xDrive30e M Sport Launch Edition traz a grade frontal preta e volume limitado de unidades.

O que não muda entre eles é a tecnologia híbrida de condução.

São duas unidades de propulsão que podem ser utilizadas simultaneamente ou separadamente. O X3 xDrive30e conta com a combinação de dois motores para gerar força plena e oferecer economia de combustível. O propulsor a combustão é o 2,0l TwinPower Turbo de 184 cv e 350 Nm de torque, que recebe a força plena do motor híbrido para gerar a potência combinada de 292 cv. Os motores são associados ao câmbio automático de oito marchas e repassam a força para as quatro rodas graças ao sistema de tração integral xDrive, que também permite se aventurar por terrenos fora de estrada.

De acordo com a situação exigida, o motor elétrico do BMW X3 xDrive30e pode movimentar exclusivamente o modelo até a autonomia estimada de até 46 km (ciclo WLTP) ou até 55 km (NEDC) no modo eDrive, que também permite atingir até 135 km/h. No modo Auto eDrive, dá para atingir até 110 km/h com propulsão elétrica.

Para maior segurança dos pedestres, o SAV híbrido plug-in gera um ruido artificial para alertar as pessoas em volta a até 30 km/h.

O tempo aproximado de recarga no Wallbox (0 a 100%) é de três horas. No carregador portátil de 120V são cerca de 9 horas, tempo que baixa para 5h30 com 220V. O modo Battery Control permite recarregar o veículo através do motor a combustão e manter a carga desejada para as baterias entre 30% e 100%. Também é possível que os motores trabalhem em conjunto para oferecer uma melhor performance, além de ajustar os amortecedores e respostas motor e câmbio para entregarem a experiência mais esportiva possível. É possível personalizar o comportamento de cada um desses componentes no modo Individual.

BMW X3 PHEV – painéis completos, com inteiração do passageiro Fonte: press.bmwgroup

O sistema de informação nos painéis (Live Cockpit Professional) é composto por duas telas de 12,3 polegadas e da central iDrive. A conectividade é um dos pontos altos do novo BMW X3: assistente Alexa (Amazon) e compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay; Intelligent Personal Assistant (um sistema de concierge) que aprende com os hábitos do motorista ajusta automaticamente o aquecimento dos bancos para certa temperatura, por exemplo. Também: BMW Connected Drive, Teleservice e My BMW app, todos permitindo ativar funções remotas e enviar relatórios sobre o carro e emitir um SOS, quando necessário.

BMW X3 PHEV – interior luxuoso e confortável Fonte: press.bmwgroup

As tecnologias e o luxo andam de braços dados no BMW X3. A cabine oferece amplo espaço interno para os ocupantes é complementado pelo porta-malas de 450 litros. O nível dos itens de série e da segurança é elevado: Parking Assistant (baliza automática), sensor de ponto cego (com prevenção de colisões traseiras), alerta de mudança de faixa (com correção automática) e aviso de tráfego cruzado, ar-condicionado de três zonas, sistema de som Hi-Fi, teto solar panorâmico, bancos esportivos revestidos de couro, além de seis airbags e controles de tração e de estabilidade.

Por sua vez, o BMW X3 M Sport acrescenta o pacote M Sport de design e suspensão, acabamentos interno e externo em preto High Gloss, faróis Laserlight e a inovadora tecnologia de reconhecimento de gestos, que conta com um sensor 3D para interpretar os gestos do motorista e do passageiro para controlar funções específicas, tal como aumentar ou diminuir o volume (basta girar o dedo para esquerda ou direita) e rejeitando chamadas (só é necessário apontar o dedo para a tela e abanar a mão para a direita).

BMW X3 PHEV – três versões híbridas para agradar ao consumidor Fonte: press.bmwgroup

Compreender o que o consumidor espera de maneira rápida é apenas uma das qualidades do novo BMW X3 xDrive30e!

Apesar de toda essa empolgação, é preciso parcimônia, controlar os impulsos mais primitivos dos fãs da marca. Vamos lembrar que não estamos na Europa ou Estados Unidos, os pontos de abastecimento elétrico se multiplicam, mas ainda são poucos; por isso, a combustão fóssil ainda se faz predominantemente necessária, mas é possível planejar uma viagem mais longa e por paragens desabastecidas de eletrificação automotiva. Também, para se aproveitar todo o potencial do veículo, algum tempo dedicado á leitura do manual e compreensão das facilidades ofertadas é imprescindível, ou se vai desperdiçar muito da tecnologia embarcada.

São coisas do século XXI… graças à Deus!

BMW X3 PHEV – para a cidade ou estrada, luxo, conforto e estilo  Fonte: press.bmwgroup

É uma “trip” sem volta, não há retorno! E negar essa “overdose de bites e chips” é negar a própria existência!

A BMW nos dá a oportunidade de fazer essa transição digital com a manutenção das nossas lembranças prazerosas de ter um carro “nas mãos”, com reações instigantes mas sob controle, com a praticidade de um veículo que poderá nos atender na cidade e fora dela.

Aguardo com curiosidade o momento de testar uma dessa opções automotivas da BMW: benvindo X3 híbrido ao choque de realidade!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.