/* ]]> */

BMW M4 DTM

A apresentação dos documentos necessários para a homologação aerodinâmica dos carros da DTM de 2014 no Deutsche Motor Sport Bund (DMSB) também marcava o fim de um período agitado, mas emocionante, para a BMW Motorsport: o desenvolvimento do conjunto para o início do torneio.

O trabalho de desenvolvimento do BMW M4 DTM, que competiria na temporada 2014 do DTM, estava em pleno andamento nas últimas semanas e meses. A partir de então, não eera mais possível fazer modificações em áreas fundamentais do carro, anunciando uma nova fase de preparação para o início da temporada em Hockenheim (DE), no dia 4 de maio. Os próximos testes se concentrariam principalmente na otimização de aspectos detalhados do pacote total e na compreensão de como esgotar todo o potencial do BMW M4 DTM.

O novo carro faria aparições públicas na pista nos testes oficiais ITR em Budapeste (HU), de 31 de março a 3 de abril e depois no teste final em Hockenheim (DE), de 14 a 17 de abril. Como em 2013, a apresentação oficial de todos os oito BMW M4 DTMs em 25 de abril, no BMW Welt, de Munique, proporcionaria aos fãs do BMW Motorsport uma amostra de dar água na boca do que poderiam esperar na nova temporada.

“Mesmo antes de o BMW M3 DTM completar sua última corrida na temporada 2013, a equipe de desenvolvimento já estava trabalhando duro no carro de 2014”, disse o Diretor da BMW Motorsport, Jens Marquardt. Preparar um novo carro para o DTM era um grande desafio. Em poucas outras séries, a aerodinâmica é tão importante. Mesmo o menor detalhe podia fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso. E essa atenção aos detalhes mostrada pelos engenheiros era aparente à primeira vista, desde o capô alongado com sua frente acentuadamente inclinada e espelhos retrovisores aerodinamicamente otimizados, até a linha do teto contornada que era uma característica do BMW M4.

Marquardt acrescentou: “Para mim, o BMW M4 DTM é um destaque absoluto. Como sua contraparte de produção, parece fantástico e também causou uma primeira impressão positiva em nossos testes. Ao contrário de quando estávamos desenvolvendo o BMW M3 DTM para nosso retorno ao DTM em 2012, desta vez pudemos contar com a riqueza da experiência adquirida nas duas últimas temporadas. Apesar disso, ainda temos um longo caminho pela frente, a oposição continuou a desenvolver os seus carros. É importante continuar a melhorar gradualmente o novo carro e garantir que possamos tirar o melhor proveito dele, a fim de sermos capazes de competir em pé de igualdade com nossos rivais fortes e experientes desde o início com o BMW M4 DTM. Estou confiante vamos conseguir isso. Todos os fãs do DTM já podem esperar pelo primeiro confronto em Hockenheim: só então saberemos exatamente o quão competitivo o BMW M4 DTM realmente é.”

Os engenheiros da BMW Motorsport começaram a olhar para o futuro em 2014 e começaram a trabalhar no desenvolvimento do novo BMW M4 DTM bem antes do início da temporada 2013. O primeiro modelo fez sua primeira aparição no túnel de vento no Aero Lab do BMW Group em 22 de abril, 13 dias antes da corrida de abertura da temporada de 2013, em Hockenheim (DE). No verão de 2013, enquanto continuavam com os testes aerodinâmicos, os especialistas em Munique (DE) voltaram sua atenção para o design de novas peças de suspensão. Os novos componentes fizeram seu primeiro lançamento na pista em dezembro de 2013, mas ainda dentro do BMW M3 DTM naquele momento. As peças finais do chassi do BMW M4 DTM estavam em produção na virada do ano, permitindo que as equipes da BMW montassem os primeiros modelos do novo carro em janeiro e fevereiro. Trezentos dias após o primeiro teste no túnel de vento, o BMW M4 DTM entrou em pista para sua estreia em Monteblanco (ES), no dia 11 de fevereiro de 2014.

A versão de produção do BMW M4 Coupé forneceu à BMW Motorsport uma base perfeita para o desenvolvimento do carro de corrida DTM. Nada surpreendente, dado o fato de que o objetivo principal dos engenheiros da BMW M GmbH trabalhando no BMW M4 Coupé era criar um carro robusto adequado para uso em pistas de corrida. Entre os que deram valiosas contribuições para a concretização deste objetivo estiveram os pilotos DTM Bruno Spengler (CA) e Timo Glock (DE), que participaram nos testes de afinação em Nürburgring-Nordschleife (DE): “Estou orgulhoso por ter desempenhado o meu papel no ajuste fino”, disse Spengler. “O chassi do BMW M4 Coupé é muito esportivo. O feedback do eixo dianteiro é extremamente direto e a aderência no eixo traseiro é fenomenal. Este carro é a base ideal para o nosso carro no DTM.”

O último carro BMW M a sair da linha de montagem na principal fábrica da BMW em Munique o fez em 1991.

Depois disso, a produção mudou para a fábrica da BMW em Regensburg (DE). Quase 23 anos depois, o processo de montagem voltou à fábrica principal e a poucos metros de distância, os engenheiros da BMW Motorsport estavam trabalhando arduamente para consertar a versão de corrida do novo carro. No entanto, as fábricas da BMW em Regensburg e Dingolfing (DE) também estiveram envolvidas no desenvolvimento do BMW M4 DTM. Entre outras coisas, as pistas de teste de quilômetros de extensão nas modernas instalações de produção foram usadas para testes aerodinâmicos. Ao longo da fase de desenvolvimento, o carro DTM 2014 foi visto no que era o local para as verificações de controle de qualidade exaustivas realizadas em todos os carros BMW M.

O BMW M4 Coupé e o BMW M4 DTM estavam baixos e planos no asfalto. Mesmo quando estacionário, os contornos poderosos do design sublinhavam o desempenho dos dois irmãos. Elementos de design característicos, como a visão moderna do arranjo dos faróis duplos e a distinta grade dupla em forma de rim, garantiam que o carro se destacasse claramente como um veículo BMW M. A cúpula de energia no capô era igualmente impressionante. A lateral do carro estendia a impressão dinâmica criada pela dianteira. As proporções típicas do BMW M4 Coupé, como o capô longo, a longa distância entre eixos e um balanço dianteiro curto, formaram a base para a silhueta baixa e aerodinâmica do BMW M4 DTM.

Voltamos a ressaltar: a aerodinâmica desempenha um papel vital no DTM!

Por esse motivo, os engenheiros da BMW Motorsport dedicaram muito tempo a questões como resistência aerodinâmica e fluxo de ar. Como no modelo de produção, as cortinas de ar na frente do BMW M4 DTM são projetadas para reduzir a resistência do ar. Dutos de ar estreitos aceleram o fluxo de ar que flui pela saia dianteira, guia-o sistematicamente pelas rodas e reduzem a turbulência ao redor dos arcos das rodas.

Outra novidade no BMW M4 DTM era uma placa ao longo do canal lateral, que conferia ao carro de corrida um contorno ainda mais marcante. O contorno atraente do teto diminuía a área da superfície dianteira do BMW M4 DTM e reduzia ainda mais o arrasto aerodinâmico. A janela traseira mais plana otimizava a forma como o fluxo de ar se aproximava da asa traseira. Os impressionantes espelhos retrovisores, com seus suportes duplos, já eram uma característica marcante do modelo de produção e os espelhos do BMW M4 DTM também foram aerodinamicamente otimizados para a pista de corrida para garantir que ajudassem no fluxo de ar eficiente para a parte traseira do carro.

O próprio BMW M4 Coupé era um excelente exemplo de construção leve e inteligente. O carro esportivo de alto desempenho pesava apenas 1.497 quilos quando vazio, isso é 80 quilos a menos que seu antecessor. Esta redução de peso tinha um efeito positivo na dinâmica de condução e no consumo. Isso foi possível devido ao uso extensivo de materiais leves, como plástico reforçado com fibra de carbono e alumínio. O uso de carbono também era comum no automobilismo. Praticamente todo o corpo do BMW M4 DTM foi feito desse material ultraleve e durável. A redução de peso e consequente abaixamento do centro de gravidade foram fundamentais para o desempenho do carro na pista.

O peso básico do BMW M4 DTM, com piloto, era de 1.110 kg.

Como o BMW M4 Coupé, a versão de corrida também atendia aos mais altos padrões de segurança. Mais de 50 das mais de 5.000 peças que compunham o BMW M4 DTM eram componentes padrão, usados ​​em todos os carros DTM. Um deles era o monocoque de fibra de carbono, que era referência em segurança no automobilismo. Com tanque integrado, gaiola de proteção de aço e elementos adicionais de colisão, oferecia ao piloto proteção efetiva em caso de colisão. Peças como caixa de câmbio, embreagem, amortecedores e asa traseira eram idênticas em todos os carros DTM. Isso também mantinha o controle sobre os custos de desenvolvimento.

O motor BMW P66 do BMW M4 DTM gerava aproximadamente 480 hp com restritor de ar especificado no regulamento técnico. Era composto de 800 componentes diferentes, consistindo de 3.900 peças individuais. Ao projetar o trem de força DTM, a BMW Motorsport aproveitou ao máximo o know-how tecnológico do BMW Group. A fundição de alta tecnologia conectada à BMW Plant Landshut (DE) foi responsável pelas grandes peças fundidas, como a cabeça do cilindro e o cárter, assim como na produção do motor em linha de seis cilindros para o BMW M4 Coupé. As peças fundidas foram revestidas e recebiam o tratamento térmico necessário nos departamentos apropriados em Munique. O BMW V8 para o DTM era um velocista e um corredor de maratona. Ele permitia que o BMW M4 DTM acelerasse de 0 a 100 km/h em cerca de três segundos! Apenas dez motores eram permitidos para todos os oito BMW ao longo de toda a temporada. Portanto, a confiabilidade era um pré-requisito para o sucesso.

A potência do motor era transferida por meio de uma caixa de câmbio esportiva sequencial de seis velocidades, operada pneumaticamente por meio de alavancas de câmbio montadas no volante. A caixa de engrenagens foi um dos componentes padrão usados ​​por todos os fabricantes de DTM. Possuía 11 relações de transmissão final, que permitia que os engenheiros e pilotos reagissem ao respectivo circuito e às características do motor ao configurar o carro.

Visores de status adicionais e um layout personalizado dos controles tornavam o volante do novo BMW M4 DTM ainda mais confortável para o uso dos pilotos. Os botões individuais podiam ser alocados de acordo com os desejos do motorista. Tal como acontecia com o carro de corrida, as marchas no BMW M4 Coupé também podiam ser trocadas usando os botões de mudança no volante, dependendo da configuração.

Os condutores do BMW M4 DTM e do BMW M4 Coupé podiam confiar no desempenho dos modernos faróis de LED. Os diodos emissores de luz faziam mais do que simplesmente economizar energia. Graças ao tempo de reação significativamente menor em comparação com as lâmpadas convencionais, o piloto de trás seria melhor avisado quando um piloto à sua frente estivesse freando. E cada fração de segundo contaria com a pista! A luz gerada pelos LEDs também era muito semelhante à luz do sol, o que a tornava particularmente atraente para os olhos. Para um carro de 4.775 mm de comprimento, 1.950 mm de largura e 1.200 mm de altura, com 120 litros de combustível no tanque, atingindo velocidades que para muitos era um sonho, o BMW M4 DTM mostrou a genialidade dos homens e continuará povoando o imaginário dos fãs

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.